RicardoOrlandini.net - Informa e faz pensar - Hoje na história - Expira ultimato soviético para que os Aliados se retirem de Berlim

Últimas notícias

Hoje na história

RSS
27 de Maio de 1959.

Expira ultimato soviético para que os Aliados se retirem de Berlim

Kruchev ao anunciar o ultimato em Moscou em novembro de 1958

No dia 27 de maio de 1959 terminava o prazo de seis meses concedido pela União Soviética para que os Aliados se retirassem de Berlim.

Em 1958, o vice-primeiro-ministro da Alemanha Oriental, Walter Ulbricht, deu os primeiros sinais inconfundíveis do início de uma prova de força. Ele disse que Berlim inteira situava-se em território da República Democrática Alemã (RDA) e, portanto, pertencia à área de soberania da Alemanha comunista.

Um discurso no mesmo tom foi feito pelo chefe de partido e de governo da União Soviética, Nikita Kruchev, no dia 10 de novembro de 1958, em Moscou. Ele afirmou que as potências ocidentais não tinham bases legais para continuar ocupando Berlim.

O que mais irritou no discurso de Kruchev não foi o anúncio de que os órgãos soviéticos entregariam à RDA tudo o que ainda controlavam em Berlim e, sim, a prepotência da declaração. O socialdemocrata Willy Brandt, então prefeito de Berlim Ocidental, percebeu exatamente as intenções dos soviéticos: "A meta é submeter Berlim inteira à influência soviética, como já foi tentado com a introdução do marco oriental", disse Brandt.

Ultimato e reveses

A situação, porém, complicou quando Nikita Kruchev apresentou um ultimato às três potências aliadas (Estados Unidos, Reino Unido e França), no dia 27 de novembro de 1958. Ele exigia a transformação de Berlim numa "unidade política autônoma" com o status de "cidade livre desmilitarizada".

No prazo de meio ano, as negociações sobre Berlim deveriam resultar numa solução. Do contrário, a União Soviética entraria em acordo com a RDA para que esta tomasse toda Berlim, cujo território estava encravado dentro da Alemanha comunista.

A Alemanha Ocidental reagiu preocupada, mas sem entrar em pânico. Os participantes da reunião do Conselho da Otan (Organização do Tratado do Atlântico Norte) rejeitaram, decididamente, a reivindicação soviética. Kruchev foi adiante e apresentou, em janeiro de 1959, uma proposta de acordo de paz, evidenciando seu plano de enxotar da Alemanha as potências ocidentais.

A partir daquele momento, tanto o governo e a oposição na Alemanha Ocidental quanto os Aliados tentaram forçar a União Soviética a negociar, através de várias iniciativas e conferências. No começo de maio de 1959, o ministro das Relações Exteriores da URSS, Andrei Gromyko, finalmente concordou em participar de uma conferência com seus colegas ocidentais de pasta.

O encontro em Genebra, entretanto, não trouxe resultados, porque o assunto principal das negociações, a questão de Berlim, continuou sem solução. Mas o êxito desses esforços foi que, em 27 de maio de 1959 — dia em que expirou o ultimato soviético — as potências mundiais estavam sentadas à mesa de negociações e o conflito militar foi evitado. A visita de Kruchev aos Estados Unidos, no mesmo ano, melhorou as relações entre os dois blocos.

Fonte: Deutsche Welle


Tags: Guerra Fria, Segunda Guerra Mundial, Bloqueio de Berlim, RDA, RFA, Alemanha Oriental, Alemanha Ocidental, Berlim






Opinião do internauta

Deixe sua opinião

Hoje na história relacionadas

Comemoramos hoje - 19.08

  • Dia de São Luis de Tolosa
  • Dia do Anjo Acaiah
  • Dia do Artista de Teatro
  • Dia do Fotógrafo e da Fotografia