Últimas notícias

Hoje na história

RSS
02 de Novembro de 2000.

A Estação Espacial Internacional (International Space Station, ou simplesmente ISS) recebe seus três primeiros inquilinos, dois cosmonautas russos e um norte-americano

Sergei Krikalev, William Shepherd e Yuri Gidzenko, tripulação da Expedição 1 na Estação Espacial Internacional (ISS).

Estação Espacial Internacional (EEI), (em inglês: International Space Station, (ISS)) é um laboratório espacial completamente concluído, cuja montagem em órbita começou em 1998 e acabou oficialmente em 8 de junho de 2011 na missão STS-135. A estação encontra-se em órbita baixa (entre 340 km e 353 km), que possibilita ser vista da Terra a olho nu, e viaja a uma velocidade média de 27.700 km/h, completando 15,77 órbitas por dia.

Na continuidade das operações da Mir russa, do Skylab dos Estados Unidos e do planejado Columbus europeu, a Estação Espacial Internacional representa a permanência humana no espaço e tem sido mantida com tripulações de número não inferior a dois elementos desde 2 de novembro de 2000. A cada rendição da tripulação, a estação comporta duas equipes (em andamento e a próxima), bem como um ou mais visitantes. A ISS envolve diversos programas espaciais, sendo um projeto conjunto da Agência Espacial Canadense (CSA/ASC), Agência Espacial Europeia (ESA), Agência Japonesa de Exploração Aeroespacial (宇宙航空研究 ou JAXA), Agência Espacial Federal Russa (ROSKOSMOS) e Administração Nacional de Aeronáutica e Espaço (NASA) dos Estados Unidos.

A estação espacial encontra-se em órbita em torno da Terra a uma altitude de aproximadamente 360 quilômetros, uma órbita tipicamente designada de órbita terrestre baixa (na verdade, a altitude varia ao longo do tempo em vários quilômetros devido ao arrastamento atmosférico e reposição). A estação perde, em média, 100 metros de altitude por dia e orbita a Terra num período de cerca de 92 minutos. Em 27 de junho de 2008 (às 01:01 UTC) completou 55 mil órbitas desde o lançamento do módulo Zarya, o primeiro a ser lançado para o espaço. É comum associar à estação um estado de "gravidade zero", originando alguma confusão, porque tal que não ocorre no local. A gravidade aproximada do local, levando-se em conta um raio de 6378,1 km terrestre, é de 8,3 m/s² a 8,4 m/s², pela igualdade da Lei da Gravitação Universal (LGU) e o peso, o que é considerável. O efeito "gravidade zero" ocorre porque a estação está "a cair eternamente" por causa da curva ocasionada pela "força centrípeta" a que está sujeita.

A estação era atendida principalmente pelo ônibus espacial e pelas naves Soyuz e Progress. O último voo de um ônibus espacial – o Atlantis - foi marcado para 8 de julho de 2011. A estação é utilizada continuamente para realização de experiências científicas (algumas cuja realização na superfície terrestre seriam de elevada dificuldade, mas de relativa facilidade em órbita). Atualmente a estação está pronta para suportar tripulações de seis elementos. Até julho de 2006, todos os membros da tripulação permanente provinham dos programas espaciais russos ou norte-americanos. No entanto a partir dessa data, a EEI tem recebido tripulantes das Agências Espaciais Europeia, Canadense e Japonesa. A Estação Espacial também já foi visitada por muitos astronautas de outros países e por turistas espaciais.


Estação Espacial Internacional em foto de 30 de maio de 2011 como pode ser visto a partir do ônibus espacial Endeavour durante a missão STS-134.

Expedição 1

Expedição 1 foi a primeira missão humana com estadia de longa duração na Estação Espacial Internacional (ISS). Ela teve início às 09:21 UTC de 2 de novembro de 2000, quando a tripulação a bordo da nave russa Soyuz TM-31 acoplou-se à estação, depois de lançada do Cosmódromo de Baikonur, no Casaquistão, dois dias antes. Foi encerrada às 04:32 UTC de 18 de março de 2001, quando o ônibus espacial Discovery STS-102 separou-se da ISS levando consigo os três tripulantes da primeira missão. Foi imediatamente seguida pela Expedição 2, levada à ISS pela Discovery neste mesmo voo, e teve uma duração total de 140 dias, 23 horas e 38 minutos, do lançamento à aterrissagem.

Durante os 136 dias a bordo da estação, a tripulação recebeu a visita de três missões do ônibus espacial, que transportaram equipamentos e provisões até a ISS. A primeira destas visitas foi da STS-97 Endeavour, no começo de dezembro de 2000, que levou à órbita os primeiros grandes painéis solares fotovoltaicos, que aumentaram a capacidade de energia da estação em cinco vezes. A segunda visita, em fevereiro de 2001, da STS-98 Atlantis, instalou na estrutura da ISS o módulo de pesquisas Destiny, que fez com que pela primeira vez a ISS tivesse uma massa maior que a antiga estação russa Mir. A terceira visita, da STS-102 Discovery, na metade de março, levou até a ISS a equipe substituta da Expedição 2.

A tripulação da Expedição 1 consistiu de um astronauta norte-americano e dois cosmonautas russos. O comandante William Shepherd, em sua quarta viagem espacial, cujas missões anteriores no ônibus espacial tinham durado o máximo de uma semana no espaço; Yuri Gidzenko, engenheiro de voo, que comandou a Soyuz na viagem até a ISS e já tinha participado de uma missão de longa duração, passando 180 dias a bordo da estação Mir entre 1995 e 1996; e Sergei Krikalev, engenheiro de voo, o único que já tinha estado a bordo da ISS anteriormente, em 1998, durante a montagem final da estação, e o mais experiente de todos, em sua quarta viagem ao espaço já com um tempo total de um ano em órbita, a maioria dele a bordo da Mir.


Sergei Krikalev, William Shepherd e Yuri Gidzenko, tripulação da Expedição 1 na Estação Espacial Internacional (ISS).

Durante sua missão, os integrantes da Expedição 1 ativaram vários sistemas a bordo, instalaram equipamento que tinha sido transportado com eles e retiraram a carga de dois veículos espaciais de carga não-tripulados Progress, lançados de Baikonur durante sua estadia. A tripulação trabalhou duro durante a missão, que estava programa para terminar em fevereiro, mas só terminou em março devido à atrasos no lançamento do ônibus espacial. A expedição marcou o início da presença humana constante no espaço, que se estende até hoje.


Configuração da ISS quando a Expedição 1 aportou na estação - de cima para baixo, módulos Unity, Zarya e Zvezda.

Missão

A tripulação esteve a bordo da ISS por cerca de 4 meses e meio, entre novembro de 2000 e março de 2001. Depois de lançados de Baikonur e cumprirem 33 órbitas em volta da Terra, a Soyuz TM-31 acoplou-se na traseira do módulo de serviço Zvezda. Em suas primeiras semanas a bordo, ativaram os sistemas de suporte à vida e os controles dos computadores, além de desembalarem suprimentos deixados na estação por missões anteriores. Durante a visita da Endeavour, em dezembro, que trouxe 17 toneladas de equipamento para a estação, os membros da Expedição puderam deixar a ISS e conhecerem o interior do ônibus espacial, ciceroneados pela tripulação, uma visita considerada positiva do ponto de vista psicológico, permitindo a locomoção em ambiente diferente.

A visita da STS-98 Atlantis em fevereiro trouxe a instalação do módulo de pesquisas científicas Destiny, durante a qual várias caminhadas espaciais foram efetuadas, incluindo o uso do braço robótico da Atlantis, o Canadarm. Durante esta visita, o controle de orientação da estação também foi mudado de propulsores elétricos para giroscópios. Ao fim desta missão, a tripulação já acumulava três meses no espaço, e o comandante Shepherd declarou que 'já estava pronto para voltar para casa'. A NASA usou de várias técnicas para ajudar a tripulação a superar a 'barreira psicológica dos três meses' de solidão espacial, que havia causado surtos de depressão em astronautas anteriores. Por exemplo, eles permitiram que a tripulação passasse mais tempo em contato com suas famílias via videofone e foram encorajados a assistir mais filmes e ouvir mais música.

Algumas das experiências realizadas por eles durante a longa estadia no espaço incluíram experimentos de crescimento de proteínas de cristais na microgravidade, fotografias da superfície terrestre para gravar fenômenos como tempestades e incêndios e a realização de um documentário com as atividades de bordo.

Em 10 de março de 2001, a ISS recebeu a missão STS-102 Discovery, trazendo mais equipamentos e a tripulação substituta da estação, que iniciaria a Expedição 2 (Yuri Usachev, Susan Helms e James Voss). No dia 14, após a troca de tripulações, a Discovery desacoplou da ISS com os três integrantes da Expedição 1 a bordo. A missão foi encerrada com o pouso do ônibus espacial no Centro Espacial Kennedy às 02:30 da manhã de 21 de março.

Fonte: Wikipédia


Tags: Estação Espacial Internacional, EEI, ISS, espaço, estação espacial






Opinião do internauta

Deixe sua opinião

Hoje na história relacionadas

Comemoramos hoje - 21.05

  • Dia de Santo André Bóbola
  • Dia de Santo Hospício
  • Dia Mundial do Desenvolvimento Cultural (UNESCO)
  • Dia Nacional da Cachaça
  • Dia Nacional da Linguagem