Últimas notícias

Hoje na história

RSS
Terça-Feira, 05 de Novembro de 1605.

Conspiração da Pólvora, planejado por Guy Fawkes para explodir as Casas do Parlamento em Londres, falha

Prisão de Guy Fawkes.

A Conspiração da Pólvora de 1605, também chamada de a Conspiração da Traição da Pólvora ou a Traição Jesuíta, foi uma tentativa de assassinato contra o rei Jaime VI da Escócia e I de Inglaterra por um grupo provinciano de católicos ingleses liderados por Robert Catesby.

O plano era explodir a Câmara dos Lordes durante a cerimônia de abertura do parlamento em 5 de novembro de 1605, sendo um prelúdio para uma revolta popular nas Midlands em que a filha de nove anos de Jaime, Isabel, seria colocada como rainha de um governo católico. Catesby pode ter embarcado no esquema após suas esperanças de maior tolerância religiosa terem desaparecido sob Jaime, deixando muitos católicos ingleses desapontados. Seus co-conspiradores foram John Wright, Thomas Wintour, Thomas Percy, Guy Fawkes, Robert Keyes, Thomas Bates, Robert Wintour, Christopher Wright, John Grant, Ambrose Rookwood, Sir Everard Digby e Francis Tresham. Fawkes, que tinha dez anos de experiência militar lutando nos Países Baixos do Sul, ficou encarregado dos explosivos.


Relato do final do século XVII ou início do XVIII.

A conspiração foi revelada para as autoridades em uma carta anônima enviada no dia 26 de outubro a Guilherme Parker, 4.º Barão Monteagle. Durante uma busca na Câmara dos Lordes por volta da meia-noite de 4 de novembro, Fawkes foi descoberto guardando 36 barris de pólvora – suficiente para destruir completamente a câmara – e preso. A maioria dos conspiradores fugiu de Londres ao descobrirem sobre a revelação da conspiração, tentando encontrar apoio pelo caminho. Vários enfrentaram o Xerife de Worcester e seus homens na Casa Holbeche; no confronto que se seguiu, Catesby foi um dos mortos. Oito dos sobreviventes, incluindo Fawkes, foram julgados em 27 de janeiro de 1606 e condenados a enforcamento, afogamento e esquartejamento.


Prisão de Guy Fawkes.

Guy Fawkes como especialista em explosivos seria responsável pela detonação da pólvora. Os conspiradores, católicos insatisfeitos liderados por Robert Catesby, também planejaram sequestrar uma criança da realeza, não presente no Parlamento, e incitar uma revolta nas Midlands. Esta conspiração foi uma de uma série de tentativas mal-sucedidas de assassinato contra Jaime I, seguida à Conspiração principal e à Conspiração do adeus, de 1603. Muitos creem que a Conspiração da pólvora foi parte da Contra-Reforma.

Todo ano, no dia 5 de novembro, pessoas no Reino Unido, Nova Zelândia, África do Sul, Terra Nova e Labrador e São Cristóvão celebram a falha da conspiração, na chamada Noite de Guy Fawkes (o significado político do festival é de pouca importância atualmente).


Noite das Fogueiras (ou Noite de Guy Fawkes) de 2005 em Lewes, Sussex. Foto: Andrew Dunn

Fonte: Wikipédia





Opinião do internauta

Deixe sua opinião

Hoje na história relacionadas

Comemoramos hoje - 03.12

  • Dia de São Francisco Xavier
  • Dia Internacional do Portador de Deficiência Física