Últimas notícias

Hoje na história

RSS
03 de julho de 1973.

Morre Laurens Hammond, inventor do órgão eletrônico


Laurens Hammond (Evanston, 11 de janeiro de 1895 - 3 de julho de 1973) foi um engenheiro dos Estados Unidos, notável pela invenção do órgão Hammond.

Laurens Hammond, o inventor do órgão que porta seu nome e é sinônimo de qualidade. Ao longo de sua vida, o engenheiro registrou 90 patentes.

Todo tecladista que se preze sonha com o som do órgão Hammond, que Keith Emerson, da banda The Nice, comparou certa vez ao de um piano de cauda.

O instrumento eletromecânico é uma criação do americano Laurens Hammond, nascido em 11 de janeiro de 1895 em Evanston, no Estado de Illinois.

A criatividade de Hammond manifestou-se cedo: aos 14 anos, desenvolveu um projeto de transmissão automática para carros. Depois dos estudos de Engenharia, trabalhou primeiro na Fábrica de Motores Gray, em Detroit.

Em 1920, conseguiu comercializar um relógio sem ruído que inventara, juntando dinheiro suficiente para se instalar em Nova York. Foi lá que inventou um motor síncrono, utilizado posteriormente na fabricação de relógios elétricos e de seus órgãos.

De óculos 3D a sistemas de navegação

A lista de invenções de Hammond vai longe, a começar pelos óculos para assistir a filmes em 3D. De uma mesa automática para misturar cartas de bridge, chegaram a ser vendidos 14 mil exemplares, em 1932. Durante a Segunda Guerra Mundial, ele ajudou a desenvolver sistemas de controle de navegação para foguetes.

Em 1932 o inventor fundou sua primeira empresa, que fabricava principalmente relógios. A produção foi se diferenciando, de forma que a firma passou a se chamar, cinco anos mais tarde, Hammond Instrument Company e, finalmente, Hammond Organ Company.

Por décadas a fio, o órgão Hammond, apresentado ao público em 1934, foi o instrumento de teclado predileto dos músicos de rock, sendo utilizado também no jazz. Entre os virtuoses do instrumento, encontram-se, além de Keith Emerson, Booker T. Jines, Brian Auger, Jimmy Smith; Rhoda Scott e Barbara Dennerlein.

Sobrevivendo ao sintetizador

No início da década de 1970, o sintetizador se impôs, e a produção do órgão Hammond foi suspensa. Mas o instrumento ressurgiu, em fins dos anos 80. A empresa japonesa Suzuki, que comprou a Hammond em 1991, desenvolveu então um órgão eletrônico como sucessor do legendário Hammond B3.

Quando Laurens Hammond se aposentou, aos 65 anos, era um homem abastado, dono de um castelo na França, mansões no Uruguai e Antigua e de um penthouse em Nova York. Ao falecer em 1973, aos 78 anos, deixou 90 patentes.

Mas seu nome ficou indissoluvelmente ligado ao instrumento que inventou, cujos primeiros exemplares, cobiçados e por isso caros, continuam na ativa, em estúdios e palcos. E, para os entendidos em música, Hammond é simplesmente sinônimo de órgão.

Fonte: Deutsche Welle

Tags: Música, piano, órgão






Opinião do internauta

Deixe sua opinião

Hoje na história relacionadas

Comemoramos hoje - 25.08

  • Dia de São José Calazans
  • Dia do Anjo Yesalel
  • Dia do Feirante
  • Dia do Soldado e do Exército Brasileiro