RicardoOrlandini.net - Informa e faz pensar - Notícias - Retirada da Eletrobras não reduz superávit primário do ponto de vista quantitativo, diz Arno

Últimas notícias

Notícias

RSS
23.11.2010 | Economia

Retirada da Eletrobras não reduz superávit primário do ponto de vista quantitativo, diz Arno

Brasília – O secretário do Tesouro Nacional, Arno Augustin, afirmou nesta segunda-feira (22) que a decisão do governo de retirar a Eletrobras da meta de superávit primário (economia que o país faz para pagar os juros da dívida) não traz mudança do ponto de vista quantitativo. Segundo ele, a redução na meta de 3,3% para 3,1% do Produto Interno Bruto (PIB) se deu porque era atribuído, no cálculo, o percentual de 0,2% para a Eletrobras. Como a estatal será retirada da conta, a meta cai para 3,1%.

“Os 3,3% são iguais aos 3,1%. Apenas, era considerado o 0,2% da Eletrobras. Como [o percentual da] Eletrobras não vai ser computado, ele está sendo retirado. Não há mudança de [superávit] primário. Apenas houve uma mudança de metologia do que é considerado o primário”, disse.

O secretário enfatizou que a metodologia é parecida com a adotada no caso da Petrobras – em que o governo retirou a estatal de petróleo do cálculo do superávit primário. “[Na época] nós retiramos o 0,5% que era atribuído a ela [Petrobras] e agora nós retiramos o que era atribuído à Eletrobras”, disse.

Augustin afirmou ainda que a Eletrobras hoje tem uma governança melhor e resolveu questões com dividendos antigos. Por isso, segundo ele, só agora o governo decidiu retirar a empresa do cálculo do superávit primário.

Por Daniel Lima, repórter da Agência Brasil

Edição: Juliana Andrade

Fonte: Agência Brasil


Tags: Eletrobras, superávit primário





Opinião do internauta

Deixe sua opinião

Datas anteriores:

notícias Relacionadas

Comemoramos hoje - 18.10

  • Dia de São Lucas
  • Dia do Anjo Ayel
  • Dia do Estivador
  • Dia do Médico
  • Dia do Pintor
  • Dia do Securitário